Conselho Fiscal

O Conselho Fiscal (2014/2015)  solicita  que para informações, dicas, reclamações, solicitações ou esclarecimentos, entrem em contato através do e-mail: conselhofiscal@cooperativadeteatro.com.br.

Composição

Titulares:

Ygor Fiori – 1º Titular
Elizabete Xavier Cavalcante – 2ª Titular
Dirce Thomaz dos Santos – 3ª Titular

Suplentes:

Elizabeth Moreira Rizzo – 1ª Suplente
Emerson Natividade Pereira – 2º Suplente
Geovane Ferreira Maciel Cavalcanti de Albuquerque – 3º Suplente

Do Estatuto

Art. 42 – A administração da sociedade será fiscalizada, assídua e minuciosamente por um Conselho Fiscal, constituído de 3 (três) membros efetivos e 3 (três) membros suplentes, todos associados, eleitos anualmente pela Assembléia Geral, sendo permitida apenas a reeleição de 1/3 (um terço) dos seus componentes.

§1º.- Não podem fazer parte do Conselho Fiscal, além dos inelegíveis enumerados no Art. 36 deste Estatuto, os parentes dos diretores até 2º (segundo) grau, em linha reta ou colateral, bem como os parentes entre si, até esse grau.

§2º.- O cooperado não pode exercer cumulativamente cargos nos Conselhos Administrativos e Fiscal.

Art. 43 – O Conselho Fiscal reúne-se ordinariamente uma vez por mês e extraordinariamente sempre que necessário, com a participação de 3 (três) de seus membros.

§1º.- As reuniões poderão ser convocadas, ainda por qualquer dos seus membros, por solicitação do Conselho Administrativo ou da Assembleia Geral.

§2º.- Na ausência do Presidente, os trabalhos serão dirigidos por substituto escolhido na ocasião.

§3º.- As deliberações serão por maioria simples de votos e constarão em Ata, lavrada no Livro próprio, lida, aprovada e assinada ao final dos trabalhos, em cada reunião, pelos 3 (três) fiscais presentes.

Art.44 – Ocorrendo três ou mais faltas no conselho Fiscal, o Conselho Administrativo ou o restante dos membros convocará a Assembleia Geral, para o devido preenchimento.

Art. 45 – Compete ao Conselho Fiscal exercer assídua fiscalização sobre as operações, atividades e serviços da Cooperativa, cabendo-lhe, entre outras, as seguintes atribuições:

a) conferir mensalmente o soldo dos numerários existentes em caixa, verificando, também, se o mesmo está dentro dos limites estabelecidos pelo Conselho Administrativo.

b) verificar se os extratos das contas bancárias conferem com a escrituração da Cooperativa.

c) examinar se os montantes das despesas e inversões realizadas estão de conformidade com os planos do Conselho Administrativo.

d) verificar se as operações realizadas e os serviços prestados correspondem em volume, qualidade e valor às previsões feitas e às conveniências econômico-financeiras da Cooperativa.

e) certificar-se de que o Conselho Administrativo vem se reunindo regularmente e se existem cargos vagos na sua composição.

f) averiguar se existem reclamações dos associados quanto aos serviços prestados.

g) inteirar-se se o recebimento dos créditos é feito com regularidade, e se os compromissos sociais são atendidos com pontualidade.

h) averiguar se há problemas com empregados.

i) certificar-se se há exigências ou dever a cumprir junto a autoridades fiscais, trabalhistas ou administrativas, bem assim quanto aos órgãos do Cooperativismo.

j) averiguar se os estoques de materiais, equipamentos e outro estão corretos, bem como se os inventários periódicos ou anuais são feitos com observância de regras próprias.

k) estudar os balancetes e outros demonstrativos mensais, o balanço e o relatório anual do Conselho Administrativo, emitindo parecer sobre estes para a Assembléia Geral.

l) dar conhecimento ao Conselho Administrativo das conclusões dos seus trabalhos, denunciando a este, à Assembléia Geral ou às autoridades competentes as irregularidades constatadas e convocar a Assembléia Geral, se ocorrerem motivos graves e urgentes.

§ Único – Para os exames e verificações dos livros, contas e documentos necessários ao cumprimento das suas atribuições poderá o Conselho Fiscal contratar o assessoramento de técnico especializado e valer-se dos relatórios e informações dos serviços de auditoria externa, correndo as despesas por conta da Cooperativa.